Confira!
Capa >> Colunas >> Como fazer sexo com uma mulher

Como fazer sexo com uma mulher

42-19732528por Helena Paix em Reflexões de uma Pollyanna Militante

Algumas dicas e esclarecimentos sobre sexo com uma mulher.

Quem é mulher sabe: somos um ser complexo!

Mulher é praticamente uma cebola: tem várias e várias camadas. E, se você descascar demais, se você conseguir chegar no que está lá no fundo do coração delas, você chora mesmo: porque não tem ser mais lindo do que uma mulher.

Acontece que toda essa complexidade, às vezes (ou na maioria das vezes) vai parar na cama sim.

O resultado disso, é que para ‘desvendar’ uma mulher é preciso muito, muito tato. É preciso estar bem atenta a pequenos sinais, à expressão no rosto dela, aos pequenos sons que ela faz.

Mulher é bicho complicado: mas só é complicado, porque é completo demais.

Mulher preocupa-se.

Com quê? Com tudo!

Mulher se preocupa com a mãe, com o pai, com os irmãos, com os amigos, com filhos (se tiver), com a vizinha, com a própria parceira, com os bichos de estimação, com o que fez ou deixou de fazer no seu dia, com o que tem que fazer amanhã ou no próximo mês…

Mulher trava briga consigo mesma o tempo todo: “Será que eu devo?”, “Será que eu não devo?”, “Digo, ou não digo?”, “Faço ou não faço?”, “Será que está certo?”, “Será que está errado?”, “Será que posso?”, “Será que não posso?”.

Mulher é um ser que sente. Sente demais! Logo, muitas vezes fica difícil se desprender do que se sente e se envolver completamente ao que se está vivendo naquele exato momento. Isso acontece porque em geral a mulher está em “vários cantos” ao mesmo tempo. Seu pensamento e seus sentimentos viajam na velocidade da luz.

E quando a pessoa com quem ela está se relacionando (seja mulher ou homem) não sabe “ler” essas tantas minúcias da mulher, fica difícil realmente de achar o jeitinho certo de conseguir fazer com que ela esteja 100% com você na hora de fazer amor.

Como tocar uma mulher?

Primeiro: mulher, definitivamente, não gosta de “pei buf”! Ou seja, nunca vá diretamente ao “ponto” quando se trata de mulher! É preciso um contexto, um envolvimento, um enlace.

Uma pequena “trama” situacional que a deixe intrigada com o que está acontecendo ali. Agarre as pernas dela, beije de leve a lateral de suas coxas – até chegar ao quadril. Passe as mãos pelo corpo dela. Envolva-a. Faça-a sentir que você está conquistando ela milímetro por milímetro.

Vá prestando atenção no que ela sente. Muita concentração nos sons que ela faz. Pequenos gemidinhos são sempre um bom sinal. Silêncio total é perigo!! Ou sua mulher não está ali por completo, ou ela não está conseguindo se soltar, ou você não está fazendo exatamente o que ela gostaria…

Use a boca em abundância. Beije todo o corpo dela. Vire-a de costas de repente! Os “de repente” são sempre uma delícia! Lembre-se de sempre achar formas de a surpreender. Beije as costas dela, beije a nuca dela. Passe a mão pelo pescoço dela e desça pelas costas até chegar no bumbum.

Mulheres e seus bumbuns!

Ali está impressa toda a feminilidade da sua parceira.

Use e abuse disso: beije, acaricie, toque de leve. Dê um tapinha até!

Puxe-a para si e fiquem vocês duas de joelho na cama. As costas dela estará colada ao seu peito. Aproveite a situação para beijar seu pescoço, para tocar-lhe os lábios vaginais.

Fique um pouco assim. Nesse movimento de descoberta.

Eis a questão: toda mulher quer justamente isso: ser descoberta.

Daí cabe a você ir descobrindo a sua mulher aos pouquinhos.

Use do diálogo na hora do sexo: frases como “Tá gostoso assim?” são sempre muito bem vindas. Servem para envolver vocês duas naquele momento e irem criando e fortalecendo a cumplicidade.

Beije os seios dela. Passe a língua na lateral dos seios dela e suba até a axila. Essa área é muito sensível na maioria das mulheres.

Cuidado para não dar uma de “bebê-infante” e passar quarenta minutos sugando o peito da sua mulher! Se o tédio pairar sobre ela na hora de fazer amor, acredite: ela já terá abandonado a cama, mesmo que seu corpo ainda permaneça lá.

A mente da mulher viaja rápido demais. Então todas as suas ações ali na cama com a sua mulher estarão voltadas para mantê-la justamente ali na cama com você: de corpo, mente e coração.

Por isso, envolva-a! Torne tudo bem instigante. Vire-a de repente. Abra as pernas dela com certa confiança. Ou ainda pronuncie isso: “Abre as pernas para mim”. Ela abrirá. Esteja certa disso.

Por quê? Por que você está justamente fazendo o que ela quer: você está instigando-a, você está envolvendo-a, você está fazendo com que ela esteja ali, participando de tudo.

Ao tocá-la, cuidado. Cada mulher funciona de um jeito diferente. E, honestamente, clitóris não é pênis! É bem mais sensível! É mucosa pura! Então vá com calma… Toque devagarzinho, de leve, friccione com carinho, fazendo círculos e uma pequena pressão. E vá aumentando essa pressão aos poucos, sempre lembrando de perguntar ou observar se está bom para ela.

Há mulheres que adoram uma fricção mais pesada. Mas outras preferem justamente algo mais delicado.

Penetração entre lésbicas é algo que vai de acordo com cada uma. Há as que adoram. Há as que gostam. Há as que gostam de vez em quando. Há as que não gostam de jeito nenhum.

Como saber?

Conversando, claro!

Ou quer dizer que vocês têm coragem de ficar peladas na frente uma da outra e não têm coragem de falar sobre sexo?

Não! Não pode mesmo!! Tem que conversar sim!!

Se a sua mulher é tímida demais, vá fazendo essas perguntas na hora do sexo: “Está bom assim?”, “Tá gostando?”. Quem sabe assim ela lhe responda. Ela vá se soltando. Se não, preste atenção nela, nos sons que ela faz, nas expressões dela.

Sexo oral pode ser a quinta maravilha do mundo! Desde que você saiba usar a sua língua! Lembrando que cada mulher é diferente uma da outra! Cabe a você ir ‘pesquisando’ o que a sua mulher gosta!

Na hora do sexo oral, lembre-se que a sua língua é um músculo. Ou seja: pode ficar rígida ou relaxada. A língua muito rígida pode machucar algumas mulheres que tenham o clitóris mais sensível. Então vá brincando com o movimento da sua língua. Ora relaxada (que permite um toque muito mais macio), ora rígida. Assim você vai descobrindo o que funciona melhor para a sua mulher.

Mulher é bicho complicado sim.

Mas por isso mesmo que não há outro ser como elas!

Fazer sexo com uma mulher é justamente estar ciente da complexidade dela. Se você mantém isso em mente e faz da sua mulher um terreno sempre a ser desvendado e conquistado, lhe garanto que você conseguirá satisfazê-la!

Sobre Helena Paix

Jornalista. Tradutora. Escritora. Blogueira. Colunista. Poliana Militante. E um bocado de outras coisas.

Deixe seu Comentário

Scroll To Top
Copy Protected by Chetans WP-Copyprotect.